sexta-feira, 29 de outubro de 2010

OLÁ AMIGOS!

Ouça a sinfonia da vida!
Todos os sons da natureza cantam um louvor à Deus,
e anunciam a sua divina presença.

Se quiseres escutá-lo mais perto.
Podes encontrá-Lo dentro de vós mesmos!
Seu amor resplandece nas íntimas e ínfimas coisas.

Ame! e Ame-se!
Somos criações maravilhosas e perfeitas do Pai.
Tudo que Ele criou resplandece
sua divina sabedoria e seu imenso amor!

Um abençoado dia,
e que você escute a linda melodia do amor.
O maior, o mais verdadeiro e o mais sublime amor.
O Amor de Deus por seus filhos!

Abraço
                 Angel

ARREPENDIMENTO, EXPIAÇÃO E REPARAÇÃO

São as três condições necessárias para apagar os traços de uma falta e suas consequências.
O arrependimento é o primeiro passo para a regeneração; não é suficiente, porém; fazem-se necessárias a expiação e a reparação.

O arrependimento
Suaviza as dores da expiação, e pela esperança prepara os caminhos da reabilitação; só a reparação, porém, poderá anular o efeito, destruindo a causa.
O perdão é uma graça e não uma anulação.
O arrependimento poderá dar-se em qualquer lugar e em qualquer tempo; se for tardio, mais longo será o sofrimento.

A expiação
Consiste nos sofrimentos físicos e morais, consequências das faltas cometidas, nesta vida ou na espiritual ou em nova existência corpórea, até que se apaguem os vestígios da falta.
A reparação
Consiste em fazer o bem a quem se fez o mal. Quem não repara nesta vida as faltas cometidas, por impossibilidade ou má vontade, achar-se-á, numa existência posterior, em contacto com as pessoas que prejudicou e em condições por ele mesmo escolhidas, que lhe facilitem provar às vítimas o desejo de lhes fazer tanto bem, quanto fora o mal que lhes fizera.
Nem todas as faltas ocasionam sempre um prejuízo direto e efetivo; neste caso, a reparação consiste em fazer-se o que não se havia feito, cumprindo-se os deveres descuidados e as missões não preenchidas; praticando-se o bem em compensação do mal praticado, isto é, tornando- se o indivíduo humilde se era orgulhoso, amável se austero, caritativo se egoísta, benévolo se malévolo, laborioso se preguiçoso, útil, sóbrio se dissoluto, trocando os maus por bons exemplos. É assim que progride o espírito, aproveitando o passado. (*)
A necessidade da reparação é um princípio de rigorosa justiça, que pode considerar-se verdadeira lei de reabilitação moral dos espíritos.
É uma doutrina que ainda nenhuma religião proclamou.`

Anular o mal apenas com o arrependimento. 
Algumas pessoas a repelem porque achariam mais cômodo apagar suas más ações com um simples arrependimento. São livres de se julgarem satisfeitas; mais tarde verão se isto lhes basta.
Perguntamos se este princípio não está consagrado pela lei humana e se a justiça de Deus é inferior à dos homens.
E bastaria que o indivíduo que houvesse arruinado outros por abuso de confiança, se dissesse infinitamente sentido?
Como deixar de lado uma obrigação que todo homem honrado tem o dever de cumprir na medida de suas forças?
Quando a perspectiva de reparação for inculcada na crença das massas, será um freio muito mais poderoso que o do inferno e das penas eternas, visto que se refere à atualidade da vida, e o homem compreenderá a razão de ser das penosas circunstâncias em que se encontra colocado.
(Nota de Allan Kardec)

A Filosofia Penal dos Espíritas - Fernando Ortiz 176
PENSE - Pensamento Social Espírita

O QUE FAZER ?

190 – Quando os filhos são rebeldes e incorrigíveis, impermeáveis a todos os processos educativos, como devem proceder aos pais?
– Depois de movimentar todos os processos de amor e de energia no
trabalho de orientação educativa dos filhos, é justo que os responsáveis pelo instituto familiar, sem descontinuidade da dedicação e do sacrifício, esperem a manifestação da Providência Divina para o esclarecimento dos filhos incorrigíveis, compreendendo que essa manifestação deve chegar através de dores e de provas acerbas, de modo a semear-lhes, com êxito, o campo da compreensão e do sentimento.

191 – Como poderão os pais despertar no íntimo do filho rebelde as noções sagradas do dever e das obrigações para com Deus Todo Poderoso, de quem somos filhos?
– Depois de esgotar todos os recursos a bem dos filhos e depois da prática sincera de todos os processos amorosos e enérgicos pela sua formação espiritual, sem êxito algum, é preciso que os pais estimem nesses filhos adultos, que não lhes apreenderam a palavra e a exemplificação, os irmãos indiferentes ou endurecidos de sua alma, comparsas do passado delituoso, que é necessário entregar a Deus, de modo que sejam naturalmente trabalhados pelos processos tristes e violentos da educação do mundo.
A dor tem possibilidades desconhecidas para penetrar os Espíritos, onde a linfa do amor não conseguiu brotar, não obstante o serviço inestimável do afeto paternal, humano.
Eis a razão pela qual, em certas circunstâncias da vida, faz-se mister que os pais estejam revestidos de suprema resignação, reconhecendo no sofrimento que persegue os filhos a manifestação de uma bondade superior, cujo buril oculto, constituído por sofrimentos, remodela e aperfeiçoa com vistas ao futuro espiritual.

O Consolador
Chico Xavier
Espírito Emmanuel

GRATIDÃO

A gratidão é uma das virtudes mais fáceis de se praticar.
A primeira gratidão que devemos manifestar é aquela que dirigimos a Deus pela vida que nos foi presenteada.
A segunda é a que dirigimos aos pais, pelo corpo que nos deram, mesmo que eles não nos tenham dado mais nada.
A terceira é aquela que podemos oferecer a qualquer pessoa que nos dê algo, mesmo que se trate de obrigação devida.
Há ainda aquela que devemos quando alguém faz algo por nós sem que tenhamos pedido.
Quando deixamos de manifestar algum tipo de gratidão, nos sentimos culpados.
O caminho é iniciar a partir de agora, a fim de que o futuro compense a ausência cometida no passado.
Caso nossa ingratidão nos afaste de alguém, sempre se torna possível rever a atitude que tomamos e ir em busca da pessoa. Não permita que seu orgulho o leve à dureza do coração impedindo a conquista da felicidade.
Seja sempre grato, pois a Vida é um presente irrecusável de Deus.

Felicidade sem Culpa
Adenáuer Novaes

MENSAGEM DO EVANGELHO

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

BOM DIA!


A Terra é um campo vasto e fértil,
aonde os cultivadores somos nós;
não olvidemos que a todos os momentos
estamos semeando e colhendo.
Toda semente tem seu tempo de maturação,
e aqueles que desejam apressá-la,
acabam por perder os benefícios que seriam esperados.
As sementes das virtudes são plantadas no coração
e o cuidado com a manutenção diária é
a garantia de colheita farta;
aonde todos se beneficiam ofertando uns aos outros
aquilo que ainda falta cultivar!

Oferto a todos a minha sincera amizade!
Com carinho
Angel

DE SOMBRA E DE SOL

Todo ser humano traz dentro de si uma luz maior que a das estrelas.
Um universo inteiro de amor vive latente dentro de cada um de nós.
Quando esteve entre nós, aqui na Terra,
Jesus nos fez um doce convite:
Brilhe a vossa luz!
E disse ainda mais: declarou que todos os seres humanos são deuses, são o sal da Terra e a luz do Mundo.
Quanta poesia nessas palavras do Cristo!
Elas são um lembrete permanente para os dias em que a sombra toma conta de nossas vidas.
E como são muitos esses dias sem sol!
Parece que uma grande nuvem cinza encobre a luz.
É quando estamos infelizes.
Quando a dor encontra morada no coração,
Quando perdemos a alegria, quando os sorrisos parecem distantes.
Mas há outras ocasiões em que uma luz radiosa parece nos iluminar.
Esses dias claros traduzem nossa alegria, a harmonia interna.
É a felicidade que se revela em nós.
E nos perguntamos:
Por que não somos sempre assim?
Por que não há apenas dias solares, cheios de cor e claridade?
É que ainda nos permitimos viver na sombra.
Para a maior parte da Humanidade ainda é mais natural se identificar com estados de angústia, tristeza, aborrecimento.
Mas um dia aprenderemos a viver de forma diferente.
Privilegiaremos a bondade, esqueceremos a maledicência, cultivaremos a alegria.
Daremos menos atenção a notícias e programas sensacionalistas ou que exploram o sofrimento dos outros.
Não permitiremos que a morbidez encontre espaço em nossa vida.
Buscaremos a felicidade nas coisas simples.
Não seremos escravos do dinheiro ou do trabalho.
E nos contentaremos com o necessário.
Luxo e excessos não nos seduzirão mais.
Nesse dia já saberemos que o segredo da felicidade
Não está nos bens que acumulamos, mas no bem que fazemos aos outros.
A maior parte das pessoas busca a felicidade em coisas externas.
É que somos treinados para acreditar que seremos felizes apenas se tivermos carros, roupas e sapatos caros.
Colocamos nossa alegria em uma bela casa ou em viagens espetaculares.
Mas essa alegria é como uma bolha de sabão.
Vai estourar à primeira dificuldade.
Pense: diante do sofrimento moral, da perda de um ser amado, de um filho que se atormenta nos caminhos do mundo,de que valem as riquezas?
O mundo está cheio de ricos infelizes, que vivem em um mundo de sombras.
E quando o coração está cinzento, de nada adianta o sol brilhar em um dia dourado.
Assim, observe o que lhe faz realmente feliz.
Analise seu mundo íntimo e dê prioridade para pessoas e situações que lhe dão alegria:
Uma visita aos pais idosos,um passeio com a família, uma tarde em companhia de amigos queridos.
É assim que sua vida se encherá de luz.

A sombra é geratriz de equívocos, como o erro é matriz de tormentos íntimos naquele que o pratica.
Afugenta as sombras que tingem de escuridade as tuas esperanças.
Acende no teu caminho a tua lâmpada clarificadora,
Iluminando a rota dos teus pés.


Redação do Momento Espírita
Pensamento extraído do verbete Sombra,
Do livro Repositório de Sabedoria,
Pelo Espírito Joanna de Angelis,
Psicografia de Divaldo Pereira Franco

EVITE DISCUSSÕES

A troca de idéias entre pessoas é saudável e positiva. Discussões, por sua vez, nunca são boas.

Qual é a diferença?
As discussões são tentativa forçada de mudar o ponto de vista de outra pessoa. Sempre resultam em uma pessoa vencendo e a outra perdendo. A troca de ideias significa o intercâmbio de ideias com o objetivo de encontrar-se a melhor solução para todos os envolvidos.
As discussões sempre causam alguma espécie de prejuízo. Mesmo se você vencer poderá destruir seu relacionamento com a outra pessoa.

A próxima vez em que você se encontrar com alguém com diferentes pontos de vista, siga estas orientações, para resolver o desacordo sem destruir o relacionamento.

1. Aceite os desacordos: se há algum ponto sobre o qual você não pensou, agradeça se ele aparecer. Talvez esse desacordo seja sua oportunidade de ser corrigido antes que você incorra num erro grave.

2. Descarte sua primeira reação para defender-se: essa é nossa primeira inclinação natural. Quando você se puser imediatamente na defesa e começar a justificar-se, dificilmente conseguira mudar sua posição mais tarde. E se privará de beneficiar-se com as idéias da outra pessoa. Fique calmo e cuidado com sua primeira reação.

3. Controle seu temperamento: ficar furioso sempre torna a comunicação mais difícil e não mais fácil.

4. Ouça primeiro: deixe a outra pessoa falar. Não resista, nem se defenda, nem rebata. Isso só aumenta as barreiras à comunicação. Tente construir pontes de compreensão. Não construa barreiras mais altos desentendimentos.

5. Procure áreas de concordância: depois que você tiver ouvido o outro, concentre-se primeiramente nos pontos e áreas com os quais concorda. Isso cria simpatia e piso comum sobre o qual poderão encontrar uma solução que possa ser boa para ambas as partes. E tente ser agradável e flexível, quando possível. Como Thomas Jefferson disse: “Em matéria de princípios, fique firme como uma rocha; em matéria de gostos, nade com a corrente.”

6. Seja honesto: procure as áreas em que possa admitir que errou e diga ao outro. Peça desculpas pelos seus erros. Isso ajudará a desarmá-lo e reduzira sua defesa. E Dara um caminho mais suave para chegar a seu objetivo final, que é o de encontrar uma solução positiva para ambos.

7. Prometa pensar a respeito das idéias do outro e estudá-las cuidadosamente: quando disser ao outro que considerará o ponto de vista dele, faça isso realmente. Ele pode estar correto. Você não deseja ficar naquela situação em que ignora as idéias dele, e mais tarde precisa ouvi-lo dizer:“ eu tentei avisar, mas você não quis me ouvir.”

8. Agradeça-lhe sinceramente o interesse: qualquer um que perder seu tempo em discordar de você está interessado nas mesmas coisas em que você está. Imagine-o como alguém que realmente deseja ajudar e ele se tornará um amigo.

9. Adie a ação: Para dar tempo a vocês de pensarem no problema.

10. Lembre-se: a melhor parte de ser sábio é admitir quando se está errado.

Estratégias para o sucesso
John C.Maxweel

PENSAMENTO POSITIVO

Pensamentos positivos geram invariavelmente atitudes vencedoras.

Sendo o pensamento uma energia efetiva e que cria formas obedecendo a emanação mental, há que nos atentarmos para o tipo de pensamentos que nutrimos.

Por exemplo: Quando dizemos que somos incapazes de realizar tal tarefa, automaticamente projetamos essas ondas negativas em nós mesmos, e acabamos por nos sentirmos derrotados antes mesmo de tentarmos a realização daquilo que deveríamos realizar.

A isso dá-se o nome de derrota antecipada.

Sem exceção, todos que conquistaram seus objetivos nos mais variados campos de atuação da humanidade municiaram-se de extrema auto confiança.

Outro fator curioso é quando sentimos antipatia por alguém, frequentemente nossos pensamentos em relação a essa pessoa não são nada generosos, tendemos a maximizar suas fraquezas e sequer observar suas virtudes.

Alguns mais apressados afirmam:
- Foi meu santo que não cruzou com o dele, não adianta, jamais seremos amigos ou sequer teremos um relacionamento amistoso, é melhor que fique ele no canto dele e eu no meu.

Diante disso, poderíamos exercitar o inverso - que fique claro, óbvio que há questões de afinidade que envolvem as criaturas - contudo, nada nos impede de treinar o bom pensamento em torno das pessoas, principalmente aquelas que nutrimos certa antipatia, quem sabe dessa forma não possamos descobrir grandes amigos, ocultos pela má vontade de olhar o lado bom das pessoas, do mundo, da vida...

Precisamos nos desvencilhar da preguiça de nos relacionarmos com as pessoas. Claro, muito mais cômodo e pratico continuar com o velho pensamento negativo em torno daqueles que se antipatiza do que procurar virtudes e motivos para se estabelecer um bom relacionamento, e quem sabe até uma proveitosa amizade.

É a velha inferioridade humana que se nega a ver o lado positivo das pessoas, do mundo, da vida.

E em virtude dos pensamentos nada amistosos que se cultiva em relação a todos, é claro que se verá apenas o lado obscuro e denso de cada um.

Diante disso, cabe-nos a pergunta:

Por que nos contaminamos a todos os segundos com pensamentos tortuosos de pessimismo e desânimo, de desinteresse e arrogância?

Fácil a resposta, pelo simples fato de desconhecermos os mecanismos de atuação do pensamento, e isso, saliente-se que é fruto de nossa mentalidade extremamente materialista que computa como realidade apenas aquilo que consegue ver, ter, pegar, ouvir..

Ou seja, tudo que foge do alcance de nossa falha percepção, tendemos a desprezar, por isso, muitos sequer percebem a atuação marcante do pensamento em suas vidas.

Amigo leitor, nossas atitudes começam em nossa casa mental, portanto, cuidemos para que dela emanem apenas pensamentos positivos, de confiança e coragem para que se reflita positivamente em nossa maneira de agir e se relacionar com a vida e com as pessoas.

São nos pensamentos que se constroem atitudes vencedoras!
Pensemos nisso.

Wellington Balbo
Baurú - SP
Grupo Renascer

BENEFÍCIOS IMEDIATOS

Entre o Aprendiz e o Orientador se estabeleceu o precioso diálogo:
-Instrutor, qual é a força que domina a vida?
-Sem dúvida, o amor.
-Esse poder tudo resolve de pronto?
-Entre as criaturas humanas, de modo geral, ainda existem problemas, alusivos ao amor que demandam muito tempo a fim de que se atinja a solução no campo do entendimento.
-E qual o recurso máximo que nos garante segurança entre as desarmonias do mundo?
-A fé.
-Pode a fé ser obtida, de momento para outro?
-Não é assim. A confiança raciocinada reclama edificação vagarosa no curso dos dias.
-A que fator nos cabe recorrer, para que nos conservem o ânimo e a alegria de servir entre conflitos da existência?
-A paz. -E a paz surge expontânea?
-Também não. Ninguém conhece a verdadeira paz sem trabalho e todo trabalho pede luta.
-Então instrutor, não existe elemento algum no mundo que nos assegure benefícios imediatos?
-Existe.
-Onde está esse prodígio, se vejo atritos por toda parte, na Terra?
-O Mentor fez expressivo gesto de compreensão e rematou:
-Filho, a única força capaz de proporcionar-nos triunfos imediatos, em quaisquer setores da vida, é a força da paciência.

Francisco Cândido Xavier. Da obra: Pronto Socorro.
Ditado pelo Espírito Emmanuel.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

BOM DIA

Por tudo que sou e por tudo que um dia serei!
Que eu possa encontrar
neste meu caminhar rumo a eternidade,
tudo aquilo que me conduzirá a entender a mim mesma,
e aos outros que compartilham desse mesmo caminho.
Que eu possa entender as lições da vida
nas situações que se apresentam,
e com elas aprender a ser menos:
egoísta, intolerante e orgulhosa.
Quero estar no mundo e não se deixar envolver 
excessivamente pelas conquistas terrenas,
e sim desenvolver as virtudes necessárias para perceber
toda a extensão do amor que Deus outorgou
em cada pedaço desta sua criação.
Necessito tanto, quanto qualquer um,
descobrir a fonte fecunda e infinita do meu ser, 
para um dia minha alma ascender
às amplitudes inimagináveis!

Que este dia seja mais um degrau a galgar
para essa tão sonhada conquista!

Deus
Eu agradeço pela minha existência,
e lhe peço:
Ajude-me a ser aquilo que você espera
dos teus filhos amados.

Jesus
Que a paz infinita que você nos legou,
seja sentida no coração destes seres
que tanto ainda necessitam dela.

Abraço
Angel

FALSOS PROFETAS

Aquela seita edificara um rico templo em homenagem a Mamon. Fluidos de interesses materiais estavam impregnados por toda a parte, evidenciando a exploração humana. Entre os coordenadores, a sinceridade era inexistente, o desejo de servir despretensiosamente ali não existia, pessoas interesseiras foram atraídas pelo comércio da fé.
A cobiça e a ambição dominavam os sentimentos dos representantes do “templo”, onde a palavra de Jesus deveria ser vivida, mas assim não acontecia. Entidades terrivelmente inferiores ensaiavam discursos para o “culto”.
Pouco a pouco, a igreja era ocupada por pessoas com as mais variadas dificuldades. Muitas revestidas de fé verdadeira, de méritos espirituais, de honestidade e amor, também se apresentavam engrossando as fileiras do luxuoso “santuário”.
Próximo do início das atividades, marchas musicais foram tocadas, preparando o psiquismo dos presentes. Terminado o show de músicas, entra ao recinto uma figura austera de intenções sombrias, contemplou demoradamente a extensa platéia de necessitados, preparando-se para falar, quando, foi envolvido pelos dois intérpretes das trevas, que lhe inspiraram este discurso:

-Meus irmãos, os sofrimentos no mundo representam o castigo divino. Se você sofre é porque está em débito com Deus e precisa saldar esta dívida. Nós, os pastores de Deus, recebemos um dom do eterno Pai, o de aliviar e até acabar com os sofrimentos; somos os mensageiros do Senhor!
Entretanto, nada na vida é de graça, Deus espera que você faça a sua parte, dê a sua cota de sacrifício para se libertar dos problemas espirituais que lhe atormentam, e é sobre o sacrifício que vamos falar. É preciso ter coragem para agradar a Deus, ter fé para conquistar a simpatia de Deus, ser ousado nas rogativas dirigidas a Deus. Se você quer se ver livre dos problemas, doe sua parcela de sacrifício para a edificação do reino de Deus na Terra. E a igreja é a casa de Deus, que precisa da sua contribuição para consolar a multidão de desafortunados, filhos do Senhor.

Estranha força partia do “pregador”, poderosas vibrações magnéticas prendiam a atenção do público.

— E todo aquele, continuou o representante da maldade, que contribuir com Deus terá sempre o dobro. Portanto, quem mais doar, mais receberá.

Neste momento, gritos de aleluia foram pronunciados pelos profissionais da fé, incentivando o povo a concordar com os absurdos proferidos pelo “pastor”, que exaltava a insensatez.
Estavam impressionados, os olhos brilhavam a maneira daqueles que estão ébrios de ambição; sentiam-se atraído pelo pastor, notava ares de simpatia para com aquele homem; mas não buscavam algo espiritual verdadeiro, mas benefícios puramente materiais, como muitos dos presentes. Pensava na reforma da casa, em aumentar a renda doméstica e, quem sabe, enriquecer com ajuda divina.

-Doem! Doem! Doem! Doem tudo! Tudo para o Senhor! Deus é o nosso salvador!

Estas palavras eram repetidas pelos trabalhadores. Viam-se, nitidamente, mãos encarquilhadas ofertarem os últimos recursos, homens fortes ofertando o salário do mês, mães desesperadas doando os últimos centavos, engordando os cofres do “santuário” erguido a Mamon. O cenário era triste, vários espíritos bons, penalizados, aguardavam a hora oportuna para ajudar.
Terminado o momento do ofertório, o “pastor” fez uma rogativa.
As palavras pediam a Deus pelos necessitados, mas o coração contava as moedas! Entretanto, centenas de pessoas oravam com fervor, inúmeras possuíam méritos e, nesta hora, os benfeitores espirituais, que estão em toda parte, ali se apresentaram, atraídos pelos pensamentos das pessoas nobres de sentimentos, colhendo os pedidos sinceros que, muitas vezes, numa explosão de fanatismo, eram feitos aos gritos; e, naquela algazarra, os verdadeiros espíritos do Senhor, que não eram vistos ou percebidos pelos adversários do bem, trabalhavam silenciosamente, anonimamente, promovendo passes magnéticos nos enfermos, recolhendo obsessores, espíritos recém-desencarnados, almas sofredoras e infelizes, num extraordinário trabalho de benemerência.
Terminada a prece, muitos se sentiam aliviados, atribuindo a melhora ou a cura aos poderes místicos do “pastor”.

— Eu lhe solicito Senhor, que aqueles que contribuíram com a sua obra sejam especialmente abençoados e que os males espirituais sejam retirados, os demônios afastados.

E, nesse instante, “atores” contratados caíram ao solo, simulando manifestações demoníacas, sugestionando as mentes fracas, perturbadas pelos adversários do bem, a repetirem os atos tresloucados. No plano espiritual as entidades debochavam, riam, divertiam-se da crendice popular, ao mesmo tempo em que muitos freqüentadores encarnados ficavam temerosos, aguardando a expulsão dos demônios pelo “pastor” que, pronunciando as palavras combinadas, afastou os espíritos impuros dos “atores”, enquanto os ajudantes despertavam as mentes impressionadas, restabelecendo a “ordem” no ambiente físico. Concluída a encenação, ainda fortemente envolvido pelos coordenadores das trevas, o “pregador” continuou:

— Vocês viram o poder do demônio? Mas o nosso poder é maior! Aleluia! Aleluia! Todos aqueles que não têm fé, caem nas garras de satanás.

Eram literalmente os falsos profetas, anunciados por Jesus. No processo de seleção em que a Terra se encontra, é natural que Deus nos permita agirmos com liberdade, pois que estamos sendo classificados através dos próprios atos.
Entretanto, nada foge à lei de causa e efeito. Essas expressões dolorosas terão de ser consertadas pelos próprios enganadores. Mesmo em núcleos dedicados à exploração humana, Deus direciona luzes, enviando os bons espíritos para socorrer quantos clamarem sinceramente por misericórdia.

Aconteceu na casa Espírita
Emanuel Cristiano
espírito Nora

29º AULA- G.E.DE ESTUDOS E TRABALHOS MEDIÚNICOS

CAPÍTULO I - EVOLUÇÃO E NÃO SALVAÇÃO
1 – DOR E SALVAÇÃO

O problema da dor sempre se constituiu a principal preocupação dos homens, uma questão para a qual as Religiões sempre deram resposta, diferente em cada uma quanto à sua origem e a razão de ser, mas essencialmente idênticas quanto às causas e a solução todas indicando um único caminho: o da prática do bem e das virtudes.

Diferentes quanto às concepções humanas acerca da Divindade, da criação e do destino; idênticas quanto ao conteúdo das revelações emanadas do Plano Maior.
Fixando-nos apenas nas duas correntes principais temos que:

PARA OS PANTEÍSTAS
A dor é consequência dos desejos que a alma alimenta em relação com a matéria. Isto a separa da Divindade e a envolve no ciclo das reencarnações, submetendo-a a lei do Karma, no que está ínsito o processo da dor. O subtrair-se a ele consiste em anular os desejos relativos à matéria, na prática da renúncia, do bem, das virtudes, em consequência do que a alma voltará a reintegrar-se com Deus, assim como a gota d’água se integra na massa do oceano.

PARA OS TEÍSTAS
O homem, criado por Deus e destinado a viver no Éden uma vida beatífica e feliz, foi dali expulso e condenado a viver esta vida, com sua descendência, por castigo. Desta forma a dor é punição e castigo, resultado desse pecado original e de outros, que também constituem um desrespeito a autoridade divina.

PARA OS CRISTÃOS
Jesus é o salvador, no sentido de que ele veio ressarcir a dívida da humanidade para com o criador, restaurando a possibilidade dos homens poderem voltar a desfrutar do convívio com a divindade, na eternidade.
Jesus, para eles, é o próprio Deus encarnado: a segunda pessoa – o filho.
A ofensa dirigida a Deus que pesa sobre os homens é a do pecado original, proporcional a sua grandeza, infinita, portanto, não estando nas suas possibilidades ressarci-la.
Por isso o Altíssimo fez-se homem na pessoa do filho para, com o sacrifício na cruz, resgatar a dívida, liberando o homem desse ônus que ele não poderia eliminar.
Mas este, em vida, para poder beneficiar-se desta liberação, tem que filiar-se a Igreja, receber o batismo, submeter-se aos diferentes sacramentos, não cometer mais pecados e receber a absolvição final, através dos representantes da Igreja. Mas acima de tudo, praticar o bem, as virtudes cristãs: a caridade, a humildade, a brandura, a justiça a bondade...
Morto, sobrevive-lhe a alma que terá de aguardar a ressurreição no fim dos tempos, o juízo final, oportunidade em que a alma retomará o próprio corpo, reconstituindo a pessoa integral, após o que será reconduzido à convivência com Deus, ou condenado as penas eternas.
Isto porque a alma, segundo esta concepção, não constitui uma pessoa; a alma não pode exercer separada do corpo, todas as funções de um ser completo: não tem sensações vive apenas a vida racional. E que a ressurreição existe, provando-a pela ressurreição do Cristo, acontecida três dias após a sua morte, na qual, retomando o próprio corpo, subiu aos céus para sua gloria eterna.
Esta é a razão pela qual se designa Jesus de Salvador.

A Ciência e a Filosofia
Estas concepções correspondem ao estágio evolutivo de uma época em que o conhecimento do homem era ainda muito incipiente, fundamentado em parcos recursos, estruturado na simbologia mitológica.
Diz-se que a filosofia é a mãe de todas as ciências, porque o saber, de uma maneira geral, iniciou-se com ela.
As ciências se originaram dela sempre que se conseguiu isolar um aspecto da realidade e estudá-lo isoladamente, com método particularizado, mas compatível, concorde com o mais geral da construção do conhecimento estabelecido pela primeira.
Ciência e filosofia constituem hoje dois ramos do saber com finalidades próprias, mas compatíveis, coerentes, mutuamente apoiados, uma servindo-se da outra, para as edificações próprias. Mas, antes da filosofia, a Religião, filha da revelação, constituía o reduto do conhecimento em geral.
Dela que isolando um aspecto do conhecimento integral, formou-se a filosofia e destas as ciências, permanecendo, porém, entre elas, um liame comum que as compatibiliza, as conjuga num único fim, que é edificação do conhecimento integral.

Discordância entre Religião, Ciência e Filosofia
A discordância existente em nossos dias, entre religião, ciência e filosofia, é apenas aparente; é muito mais devido a posições irredutíveis dos dogmáticos que elegeram a metafísica como o único conhecimento desejável, e a crença como forma absoluta de fundamentar o saber, relegando a plano desprezível toda outra forma, incapacitando-se a avaliar as novas revelações que adentraram no conhecimento via ciência -  de acesso tão legítima para a revelação, quanto às outras.

Espiritismo: Restabelece a unidade
O que o Espiritismo realiza é a reconstituição da concordância. Redescobrindo os liames que unem ciência, filosofia e religião, restabelecendo a unidade, e o reconhecimento do que, para o desenvolvimento da verdade, hoje a base é o saber científico, cujas descobertas se compõem em inesgotáveis mananciais de informações; descortina um mundo ampliado em todos os seus aspectos, decomponível ao infinito no macro e no microcosmo, dando sentido as expressões infinitamente grande e infinitamente pequeno que, em seu significado, exprimem o profundo mistério com que se depara a inteligência humana em ambos os sentidos.

NO LIMIAR DA VIDA DE ALÉM TÚMULO

Para mim, meu caro filho, as últimas impressões da existência terrena e os primeiros dias transcorridos depois da morte foram muito amargos e dolorosos.
Quero crer que a angústia, que naquele momento avassalou a minh’alma, originou-se da profunda mágoa que me ocasionava a separação do lar e dos afetos familiares, pois, apesar de crer na imortalidade, sempre enchiam-me de pavor de crer na imortalidade, sempre enchiam-me de pavor os aparatos da morte; e dentro do catolicismo, que eu professava fervorosamente, atemorizava-me a perspectiva de uma eterna ausência.Lutei, enquanto me permitiram as forças físicas, contra a influência aniquiladora do meu corpo; mas foi uma luta singular a que sustentei, como sói acontecer aos corações maternos, quando periga a tranquilidade dos seus filhos. Unicamente esse amor obrigava-me ao apego à vida, porque os sofrimentos, que já havia experimentado, desprendiam-me de todo o prazer que ainda pudesse me advir das coisas terrestres.
Desejava orar... Todavia, os pensamentos não conseguiam obedecer-me, dispersos pela confusão estabelecida em meu mundo interior, em virtude dos padecimentos que me percorriam os centros da atividade orgânica; e a minha vontade era semelhante a uma voz de comando, totalmente desobedecida por elementos rebeldes e indisciplinados.
Hoje sei que naqueles angustiosos momentos muitos seres se conservavam, embora intangíveis, ao meu lado, amparando-me com os seus braços tutelares e compassivos, porém não os distinguia.
Sentia-me sucumbir lentamente... A princípio, gemidos de sofrimento escapavam-se do meu peito torturado, compreendendo a ineficácia dos esforços que fazia para não morrer; mas tão rude era aquela suprema tentativa de resistência, que me abandonei, finalmente, àquelas forças poderosas e invencíveis que me subjugavam..

Maria João de Deus
Livro Cartas de uma Morta - Psicografia Chico Xavier

REFLEXÃO:

Muitas vezes, pensamos que podemos medir a nossa elevação espiritual por aquilo sabemos.
Mas...infelizmente não!
Nossa elevaçao espiritual é medida pela nossa capacidade de amar nos momentos mais difíceis!
Angel

terça-feira, 26 de outubro de 2010

BOM DIA!

VERDADE: Conquista pela busca individual, e o exemplo que se dá ao encontrá-la.

BONDADE: Conquista do entendimento, todos merecem a nossa compreensão e nosso carinho pelo simples motivo de que se encontram na mesma luta que nós.

JUSTIÇA: a junção da verdade e dá bondade, se pratica a justiça realmente justa. Recebendo o que merecemos por aquilo que damos.

AMOR: verdade+bondade+justiça

O caminho para essas conquistas, é o caminho que Jesus nos mostrou!
Que nós possamos ter em nossas mentes e nossos corações esses ideais que nos levarão a iluminação da nossa alma, resplandecendo em nossos atos e palavras a nossa origem divina, pela qual somos assim reconhecidos:
 FILHOS DE DEUS!

Um dia iluminado!
Abraço fraterno
Angel

FRACASSO DOS MÉDIUNS


Saem milhares de mensageiros aptos para o serviço, mas são muito raros os que triunfam. Alguns conseguem execução parcial da tarefa, outros muitos fracassam de todo.
O serviço legítimo não é fantasia. É esforço sem o qual a obra não pode aparecer nem prevalecer. Longas fileiras de médiuns e doutrinadores para o mundo carnal partem daqui, com as necessárias instruções, porque os benfeitores da Espiritualidade Superior, para intensificarem a redenção humana, precisam de renúncia e de altruísmo. Quando os mensageiros se esquecem do espírito missionário e da dedicação aos semelhantes, costumam transformar-se em instrumentos inúteis. Há médiuns e mediunidade, doutrinadores e doutrina,como existem a enxada e os trabalhadores. Pode a enxada ser excelente, mas, se falta espírito de serviço no cultivador, o ganho da enxada será inevitavelmente a ferrugem. Assim acontece com as faculdades psíquicas e com os grandes conhecimentos. A expressão mediúnica pode ser riquíssima; entretanto, se o dono não consegue olhar além dos interesses próprios, fracassará fatalmente na tarefa que lhe foi conferida. Acredite, meu caro, que todo trabalho construtivo tem as batalhas que lhe dizem respeito. São muito escassos os servidores que toleram as dificuldades e reveses das linhas de frente. Esmagadora percentagem permanece à distância do fogo forte.
Trabalhadores sem conta recuam quando a tarefa abre oportunidades mais valiosas.

Casos de mediuns que fracassaram:

1º Caso: Comercialização da Mediunidade
"Agarrei ao interesse inferior e fixei meu ponto de vista. Ficaria definitivamente por conta dos consulentes. Arbitrei o preço das consultas com bonificações especiais aos pobres e desvalidos da sorte, e meu consultório encheu-se de gente. Interesse enorme foi despertado entre os que desejavam melhoras físicas e solução de negócios materiais. Grande número de famílias abastadas tomou-me por conselheiro habitual, para todos os problemas da vida. As lições de espiritualidade Superior, a confraternização amiga, o serviço redentor do Evangelho e as preleções dos hemisférios divinos ficaram a distância. Não mais a escola da virtude, do amor fraternal, da edificação superior e sim a consulta comercial, as ligações humanas legais ou criminosas, os caprichos apaixonados, os casos de polícia e todo um cortejo de misérias da humanidade, em suas experiências menos dignas. Transformara-se completamente a paisagem espiritual que me rodeava. À força de me cercar de pessoas criminosas, por questões de ganho sistemático, as baixas correntes mentais dos inquietos clientes encarceraram-me em sombria cadeia psíquica. Cheguei ao crime de zombar do Evangelho de Nosso Senhor Jesus, esquecido de que os negócios delituosos dos homens de consciência viciada contam igualmente com entidades perniciosas, que se interessam por eles nos planos invisíveis. E transformei a mediunidade em fonte de palpites materiais e baixos avisos.
-A meu ver, você enganou-se também, como tantos de nós.
Acelino, porém, enxugou o pranto e respondeu:
— Não fui homicida nem ladrão vulgar, não mantive o propósito íntimo de ferir ninguém, nem desrespeitei alheio lares, mas, indo aos círculos carnais para servir às criaturas de Deus, nossos irmãos, auxiliando no crescimento espiritual com Jesus, apenas fiz viciados da crença religiosa e delinquentes ocultos, mutilados da fé e aleijados do pensamento. Não tenho desculpas, porque estava esclarecido, não tenho perdão, porque não me faltou assistência divina".
"E, depois de longa pausa, concluiu gravemente:
— Podem avaliar a extensão da minha culpa?"

2º caso: Dona da Razão
"Fomos ao círculo carnal para construir com Jesus, mas caímos na tolice de acreditar que andávamos pela Terra para discutir nossos caprichos. Não executei minha tarefa mediúnica, em virtude da irritação que me dominou, dada a indiferença dos meus familiares pelos serviços espirituais. Nossos instrutores, aqui, muito me recomendaram, antes, que para bem ensinar é necessário exemplificar melhor. Entretanto, por minha desventura, tudo esqueci no trabalho temporário da Terra. Se meu marido fazia ponderações, eu criava refutações. Não suportava qualquer parecer contrário ao meu ponto de vista, em matéria de crença, incapaz de perceber a vaidade e a tolice dos meus gestos. Das irreflexões nasceu minha perda última, na qual agravei, de muito, as responsabilidades. Quase mensalmente, Joaquim e eu nos empenhávamos em discussões e então trocávamos apenas os insultos contundentes, mas também os fluidos venenosos, segregados por nossa mente rebelde e enfermiça. Entre os conflitos e suas consequências, passei o tempo inutilizada para qualquer trabalho de elevação espiritual".


Para trabalharmos com eficiência,é preciso saber calar, antes de tudo. Teríam atendido perfeitamente os deveres, se tivéssem usado todas as receitas de obediência e otimismo que forneceram aos outros. Aconselhar é sempre útil, mas aconselhar excessivamente pode traduzir esquecimentos de nossas obrigações.


3º caso: Dúvidas e desconfianças
"Preparei-me o bastante para resgatar antigos débitos e efetuar edificações novas; contudo, não vigiei como se impunha. O chamamento ao serviço ressoou no tempo próprio, orientando-me o raciocínio a melhores esclarecimentos; nossos instrutores me proporcionavam os mais santos incentivos, mas desconfiei dos homens, dos desencarnados e até de mim mesma.
Nos estudiosos do plano físico, enxergava pessoas de má fé; nos irmãos invisíveis presumia encontrar apenas galhofeiros fantasiados de orientadores, e, em mim mesma, receava as tendências nocivas. Muitos amigos tinham conta de virtuosa, pelo rigorismo das minhas exigências; todavia, no fundo, eu não passava de enferma voluntária, carregada de aflições inúteis".

Na esfera carnal, o maior interesse da alma é a realização de algo útil para o bem de todos, com vistas ao Infinito e à Eternidade. Nesse mister, é indispensável contar com o assédio de todos os elementos contrários.Ironias da ignorância, ataques da insensatez, sugestões inferiores da nossa própria animalidade surgirão, com certeza, no caminho de todo trabalhador fiel. São circunstâncias lógicas e fatais do serviço, porque não vamos ao mundo psíquico para descanso injustificável, mas para lutar pela nossa melhoria, a despeito de todo impedimento fortuito.

Os mensageiros
Chico Xavier
Espírito André Luiz

MELANCOLIA: SINTO UMA TRISTEZA PROFUNDA!

O que passamos é sempre para uma reflexão mais profunda. Antes é preciso entender que somos regidos por leis divinas e perfeitas, que tudo concorre para a evolução das coisas.
E essas leis se encontram gravadas em nossa consciência.
As dores íntimas nos fere profundamente, mas dentro de nós está à chave para a compreensão e a solução desse sofrimento.
Hoje, você busca as pessoas para se ver livre dessa angústia, se apegando a elas, mas logo perceberá que somente você pode se autocurar. Busque entender seus conflitos íntimos. você pode transformar esse processo doloroso em crescimento e amadurecimento.
 É claro que gostaríamos de ser poupados dessas angústias interiores, mas sabemos que são consequências do passado que nós mesmos criamos.
O sofrimento que passamos é provocado por nossas concepções errôneas, nossas falsas verdades, a quebra das ilusões que criamos e insistimos em nos apegarmos, e quando ela não se completa na satisfação esperada, quando não condiz com as nossas expectativas, caimos na tristeza e na insatisfação, que parece infindável.
Não basta mudarmos o comportamento é preciso extinguir a causa que o provoca, só assim conseguiremos fazer essa mudança.
Não espere mudanças rápidas, isso é um exercício que levará tempo e esforço, pois precisamos nos despojar muitas vezes de anos de conduta e mentalidade errada a que nos habituamos.
Muitos nestes momentos aflitivos pensam em acabar com sua própria vida, mas os suicídas logo percebem a decepção, quando adentrar ao mundo espiritual; porque não podem fugir de si mesmo.
Os problemas da vida são os desafios que promovem nosso progresso espiritual.
O conhecimento de nós mesmo e o entendimento da vida é a luz que se acende para nossa alma que até então permanecia nas sombras da ilusão.
Temos tendências a culpar os outros e o mundo por nosso comportamento, nosso sentimento e nossas emoções desequilibradas, mas devemos assumir nossa responsabilidade e ver que a causa somos nós.
Somos responsáveis pela nossa felicidade ou infelicidade.
O esforço a vontade de mudar, a autoconfiança depende essencialmente de cada um.
A compreensão espírita pode ajudar a ter uma nova visão da vida, e de você mesmo, libertando de velhos pensamentos destrutivos para pensamentos de renovação, de entendimento.
Mudar o nosso intímo é o caminho para ser feliz, e aquele que desenvolve a confiança plena em Deus, supera suas dificuldades e alcança a tranquilidade pois aceita todos os fatos que contribuem para o seu crescimento espiritual.
Angel